Como é uma bateria por dentro? Desmontando uma Bateria - Disassemble battery

|




Acabou. Agora é jogar no lixo e comprar outra. Será mesmo?
Vamos desmontar alguns modelos de baterias que frequentemente temos em casa.
Veja imagens internas das baterias e uma discursarão sobre o mercado de baterias.
Vamos lá?


Discutindo e contextualizando:
Repetindo esse processo com seus milhões de habitantes uma cidade é uma enorme fonte de lixo químico com metais pesados jogados "por ai ou por ali".
Agora que os rios estão contaminados o mercado oferece uma nova geração de baterias as recicláveis e cobra mais caro pois tem no rótulo "sustentabilidade".
Bem... Só não contaram a você que a tecnologia de baterias renováveis já existia há décadas e que era mais negócio vender a você uma bateria de baixa qualidade, pouca carga e de descarte rápido para estimular o consumo.
Além dos rios poluídos houve um evidente boicote aos carros elétricos e um gigantesco gasto energético com a ineficiência das baterias tradicionais.
É... essa galera é malandrona e o controle disso foi feito com as patentes que supostamente deveriam proteger uma ideia nova mas na prática serve de controle e monopólio para o conhecimento. 
Bem... o tempo passou e a demanda inevitável por baterias de verdade chegou e forçou a retirada das patentes da gaveta e o uso das baterias de níquel metal hidreto e as de litium o que permitiu o "Bum" dos aparelhos móveis e portáteis modernos.
Mas ainda hoje as fábricas de pilhas tradicionais opera a todo vapor atendendo a demanda criada décadas atrás. Então vamos ver por dentro dessa baterias que tem o mesmo princípio das pilhas de Daniel e do Volta desmontando e visualizando suas partes.



1- Bateria de 12V:
Muito usada em controles de portão eletrônico.
Nesse modelo temos 8x baterias de 1.5V dando um total de 12V(8x1,5V=12V)
São associadas em serie. Então, as tensões de cada bateria se somam entretanto a corrente fornecida por esse sistema não é maior que a de uma pilha. Assim ela é indicada para circuitos que não drenam muita corrente. Ou seja liga e desliga rapidamente mas que precisa de uma tensão relativamente mais elevada. 




Vemos a capa protetora de metal. Uma película plástica para isolar a pilha dessa capa metálica. 
Temos os conectores dos dois polos e a associação de baterias.


2- Baterias de 9V:
Usada em diversos eletrônicos.
Tem um conceito semelhante. São 6x1.5V=9V pequenas células associadas em série fornecendo uma maior tensão mas possui uma corrente baixa. Assim tem pouca duração mas uma tensão maior.







 Note a estrutura metálica que são os polos + e -




Cada célula é unida por uma espécie de cera de abelha ou parafina e são revestida por uma camada de plástico.



 Uma pó negro que tem um pouco de umidade. São bem compactados e tem os metais que reagem para gerar o fluxo de elétrons.


 Um pouco de papel tipo Kraft(pardo) além do plástico também é usado para envolver cada célula.







Discussão sobre essa tecnologia :
Grande avanços surgiram quando as pilhas foram inventadas. Imagine poder controlar a força dos raios que antes achava-se que os deus eram os controladores. Bem... foi combinando algumas simples moedas de metal com uma solução salina que o homem dominou e desenvolveu todo um conhecimento relacionado a eletricidade. Mudando rapidamente as relações de trabalho e interação com o meio. Provavelmente depois da descoberta do fogo a eletricidade foi o novo BUM! no  "macaco Homem" catapultando-o para uma realidade sem volta e um profundo conhecimento de quem somos. Foi tão intenso que quase um século depois desta descoberta o homem conquistou o espaço.

 Sobre a pureza e contaminação por metais tóxicos:
Quando você pega um "bloco de pedra" que é rica em algum minério você não retira exatamente o minério que deseja. Na prática é como misturar areia com farinha de mandioca. Você come a farinha e não areia. Então a ideia é isolar um do outro.
Mas imagine que temos farinha, areia e em baixíssima quantidade pó de milho. Bem a interação de farinha e pouco pó de milho você pode comer e nem vai perceber que tem milho não é verdade? Mas se o milho fosse tóxico, radioativo ou coisa pior ?
Na prática um metal mais puro é mais caro pois passou por um processo de refino mas se você tem um material com misturas em quantidades bem pequenas mesmo que tóxicas alguns fabricantes deixam passar. E esse produto tem um custo menor mas as consequências são catastróficas. É a economia burra. Atualmente são encontradas altas taxa de Cádmio, chumbo e outros metais pesados em partes metálicas das pilhas e também em joias femininas(essas de bijuteria) dentre  outros. Esse metal acaba indo para rios e solo e se cumula nos animais e no ser humano condenando as futuras gerações a doenças e o convívio com um ambiente tóxico. Nem todos os países controlam esse produção com qualidade e o intercambio de produtos de baixa pureza chega em todo o globo. No Brasil as empresas nacionais são obrigas a garantir a pureza mas basta ir ao camelô e procurar as pilhas baratas que você vai encontrar esse tipo de produto com altas toxinas. Normalmente duram menos, podem vazar ácido e corroer o aparelho eletrônico danificando tudo. Já aconteceu comigo.
Então evitar o consumo desse tipo de produto de baixa qualidade é interessante.

Referência:
Filme: Quem Matou o Carro Elétrico
Livro: Tópicos de Física.Volume 3: Eletricidade, Física Moderna. Editora Saraiva




Gostou? Incentive mais visitando:
LOJA do Brasilrobotics




2 comentários:

User Droid disse...

Excelente matéria. Imagens ricas qur nos mostram de perto como as pilhss são por dentro. Agora, gostaria de saber como é o funcionamento de cada célula.

Ronaldo Meirelles disse...

queria saber se eh perigoso eu desmontar uma bateria de carro 12v,msm se eu usar luvar e mascaras

 

©2010 Brasil Robotics | by Gamesh_